Tempo perdido, de Graça Vilhena

o esquecimento se fez

ao lado dos navios

que encalharam um dia

e apodreceram os cascos

na paciência do mar.

 

nada mais resta

em o pó das horas

da mentira nem a

necessidade do perdão

a vida agora ensina

um novo ritmo

na mobilidade dos dias

 

e se de vez em quando

bate um arrependimento

não é por ter te amado

sem a febre do contágio

mais por ter perdido

tanto tempo

muito mais em ti

do que em mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.