Bid Lima

Dos muitos dons que Marlenides Lima da Silva, conhecida como Bid Lima, possui a comédia é, sem dúvida, o mais marcante. A atriz até explorou outros estilos, mas gostou mesmo foi do humor. Além de atuar ela é figurinista, cenógrafa, produtora cultural, é graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Piauí e está concluindo Mestrado em Educação na Universidade de Columbia em Asunción. Sua história no teatro começa nos anos noventa e desde então ela já trabalhou com quase todos os diretores de teatro de Teresina. Apresentou não só no Piauí como na Europa e África. Já recebeu o prêmio de teatro Melhores do Ano, elaborou figurinos premiados, assim como cenários para algumas peças como “As Malditas”. Bid Lima já atuou nos espetáculos “Quando as máquinas param”, “A casa de Bernada Alba”, “Corpúsculo”, a sátira do filme “Crepúsculo” que também ganhou uma adaptação para o cinema, dentre outras. A atriz, que já foi presidente da Fundação Cultural do Piauí (Fundac), faz parte do Grupo Harém de Teatro e atualmente atua como Diretora de Unidade de Articulação Cultural da Secretaria Estadual de Cultura. E mesmo afastada dos palcos, temporariamente, segundo a própria atriz, Bid Lima continua sempre em contato com o teatro, mesmo que nos bastidores.

“O teatro é vida, é uma forma de respirar e uma válvula de escape.” Bid Lima

Nome Completo: Marlenides Lima da Silva

Descrição: Atriz, figurinista, produtora cultural e cenógrafa

Data de Nascimento: 24/03

Local de Nascimento: Teresina-PI

A aptidão para as artes

Bid Lima cresceu cercada pela família, uma família grande de artistas natos e dessa mistura de talentos tinha que sair artista de todo jeito. Segundo Bid Lima, uma festa familiar se torna um grande evento pela quantidade de parente. E não é por menos, a família da atriz praticamente fundou o bairro Memorare, pois a avó teve treze filhos e quarenta e sete netos, sendo também a moradora mais velha do bairro que fará 94 anos de idade. Já o bisavô, Possidônio, foi quem ajudou a construir a igreja do bairro. As festas de final de ano eram temáticas e tinham espaço para apresentação de danças, teatro e música. Bid Lima relembra o trecho da poesia de Coelho Neto que declamou aos seis anos de idade e nunca esqueceu: “Ser mãe é desdobrar fibra por fibra o coração!” No meio de tanta gente Bid e as primas começaram a levar os dons artísticos para fora do ambiente familiar, apresentado também no grupo da igreja. O gosto pelas artes foi crescendo e Bid Lima começou a seguir o caminho das artes.

Da coxia ao palco

Na adolescência, mais precisamente em 1997, com dezesseis anos de idade, Bid Lima entrou para a sua primeira oficina de teatro. Era o “mergulho teatral de férias”, uma oficina ofertada pelo grupo Procópio Ferreira que aconteceu no Theatro 4 de Setembro. O primeiro professor de Bid foi Arimatan Martins que percebeu bem cedo o dom da atriz. E nesse mergulho teatral a atriz conheceu Luciano Brandão, Franklin Pires, Cintia, Alex, entre outros. Amigos que seguiram rumos diferente nas artes, mas que mantiveram o elo forte. “O Arimatan, um gênio que ele é, percebeu esse traço cômico que a gente tinha, não só eu como minhas primas. Tanto que éramos chamadas de os trapalhões porque tudo que a gente fazia, podia ser até sério, transformávamos numa coisa moleca, era uma coisa da gente mesmo”, diz a atriz. Depois da experiência Bid Lima passou a se dedicar intensamente ao teatro, um ano depois de iniciar no teatro a atriz foi apresentar em Portugal e nunca foi de negar um desafio artístico, arriscou-se nos palcos e explorou de tudo um pouco.

Da necessidade à paixão

A necessidade e criatividade formou a cenógrafa e figurinista Bid Lima que usou os conhecimentos adquiridos no curso de Artes Visuais para aprimorar as suas técnicas. A falta de incentivos e de recursos foi despertando na atriz o desejo para criar os elementos cênicos, então a atriz foi se encarregando desse ofício até que deixou de ser apenas uma função e se tornou paixão. Bid Lima fez o figurino do ator João Branco para a peça teatral “As palavras de Jó” de Cabo Verde, além do figurino “As Malditas” premiado como melhor figurinista no Troféu os Melhores do Teatro Piauiense de 2017. Bid Lima confessa que teve certa dificuldade para decorar o texto, mas foi criando mecanismos para superar esse desafio. E de todos os papéis feitos a personagem que ela se apaixonou foi Helena de Sonhos de uma noite de verão do Shakespeare, pois foi o primeiro papel grande, com muitas falas e que forçou a atriz a superar seus medos e sua timidez.

“O artista deve ter um leque de opções, experimentar todo tipo de experiência para ter uma boa bagagem, uma história.” Bid Lima

Nas lentes da câmera

As experiências com o teatro fizeram Bid Lima explorar também o universo do cinema participando do filme “Corpúsculo” (2010), sátira do filme “Crepúsculo” interpretando a personagem Bela Swina. Posteriormente a atriz dá continuidade a sua personagem no filme “Eclampse” (2012), ambos dirigidos por Franklin Pires. A experiência deu certo e foi bem aceita pelo público. Bid Lima relata as dificuldades de se construir um filme com poucos recursos e com muita força de vontade por parte da equipe. O sucesso foi tanto que mesmo fora das telas as pessoas identificavam a atriz pela personagem do filme. Os filmes e peças apresentados pela atriz são os resultados de uma parceria bem-sucedida com o ator e diretor Franklin Pires. E essa química entre os dois atores se estende para fora dos palcos chegando até as experiências e brincadeiras publicadas na internet. Bid Lima comenta que como ator o diálogo e sincronia entre os dois é tão forte que mesmo em cenas improvisadas os dois conseguem se entender, como se ela conseguisse ler o olhar de Franklin. Bid Lima experimentou um pouco de tudo e comenta o quanto isso é importante para a construção do artista, não desperdiçar as oportunidades e entender que tudo é aprendizado. São duas décadas se dedicando ao teatro e, segundo a atriz, não importa se a mensagem será trágica ou cômica, o que realmente importa é o poder transformador que a arte possui, tanto para o público como para o artista.

O poder do teatro

Bid Lima além foi mergulhando, ao logo da sua trajetória artística, na produção cultural, pois ser atriz exigiu outras competências, tendo que fazer o trabalho de produtora e posteriormente assumindo esse ofício. E ficar nos bastidores é tão importante como subir no palco, a apresentação da peça é a forma final da obra que tem um caminho árduo até a sua exposição. Bid Lima já produziu o Fesvival de Rabeca de Bom Jesus, o espetáculo “Paixão de Cristo”, a “Caravana da rabeca”, o “Auto de Natal”, entre outros. O jogo de cintura para atrair o público não é simples e Bid comenta que mesmo diante dos obstáculos é preciso que o artista insista e pense em estratégias para permanecer produzindo arte. A atriz acredita no poder das artes como complemento para a educação e como a percepção do ser humano se modifica quando entra em contato as artes de modo geral, diz também que é preciso se conhecer e essa consciência é uma das habilidades exigidas no teatro. E tanta dedicação acontece porque o teatro para Bid Lima é a sua base, por isso ela afirma: “O teatro é vida, é uma forma de respirar e uma válvula de escape.”

A arte que transforma

Bid Lima arranca risos da plateia com muita facilidade, suas personagens ganharam a admiração e o gosto popular. Foram inúmeras peças apresentadas e mais de quarenta trabalhos ao longo desses vinte anos de teatro, com muitas histórias divertidas, muita dedicação e sacrifício. Hoje Bid trabalha nos bastidores tentando levar a arte ao maior número de pessoas possíveis e desenvolvendo um trabalho para a valorização da cultura piauiense. A atriz foi conquistando o seu espaço, mostrando o seu talento, ficando conhecida como uma das representantes da comédia do teatro piauiense. Além disso também usou a aptidão com a comédia para apresentar a força e importância do humor fomentando reflexão de temas delicados ou tabu. Foi no palco que Bid se encontrou e se sentiu confortável para dialogar com outros artistas. E o teatro não foi apenas paixão, tampouco sonho, foi muita batalha e força de vontade para criar caminhos e condições favoráveis, assim como criar um público fiel. Bid Lima é inspiração para uma geração de artista que viram na atriz a motivação para conhecer o teatro, atraindo novos espectadores e atores. E ela promete sair das coxias e voltar aos palcos para nos alegrar.

Contatos

facebook.com/bid.lima.5

Fotos

Vídeos

Peças

“A Bela Entorpecida” – (Asmodeus) 1998
“O Clone” (Os Shakespirados) 1998
“O Princês do Piauí” (Harém de Teatro) 1999
“Sonho de Uma Noite de Verão” (Oficina Procópio Ferreira) 2000
“Trikini Show” (Teatro da Tribo)  2000
“O Auto do Lampião no Além” (Harém de Teatro) 2001
“Branca de Neve e os Sete Anões” (Asmodeus) 2001
“A Lagoa do Vai ou Racha” (Mosay de Teatro) 2002
“Os Monólogos do Ânus” (Teatro da Tribo)  2002
“Sonho de Uma Noite no Sertão”(Os Shakespirados) 2004
“Os Saltimbancos” (Harém de Teatro) 2003
“Sacre” (FMC) 2004
“Os Saltimbancos” (Oficina Procópio Ferreira) 2004
“O Marinheiro” (A & C Produções) 2004
“O Caso do Espelho” (Mosay de Teatro) 2004
“A Paixão de Cristo de Bom Jesus” (Associação Amigos de Bom Jesus) 2004 a 2017
‘Monólogos do Ânus 2 – A Missão” (Teatro da Tribo) 2004
“Esculhambação” (Teatro da Tribo) 2004
“Os Saltimbancos” (Teatro da Tribo) 2005
“Rios e Mitos”(FMC) 2005
“Chá das Quintas” (Cia de Teatro da Cidade) 2005
Palimpsesto (Núcleo do Dirceu) 2005
“A Menina e o Vento” (Harém de Teatro) 2005
“Alive” (Núcleo do Dirceu) 2006
“Pluft, o Fantasminha” (Harém de Teatro) 2006
“BidQueen”(Asmodeus) 2006
O jardim das Cerejeiras (Núcleo de Criação do Dirceu) 2007
“Os Sete Gatinhos” (Oficina Procópio Ferreira) 2007
“Itararé – A República dos Desvalidos” (Grutepe) 2007
‘”Harém Conta o Assassinato do Anão do Caralho Grande” (Harém de Teatro) 2007
“Amar se Aprende Amando” (Cia de Dramas e Comédias) 2009
“FranklinStein Jr.” (Tribo de Teatro) 2009
“O Sono do Fauno” (Shakespirados) 2009
Corpúsculo” (Tribo de Teatro) 2009
“Coração Saltimbanco” (Teatro da Tribo) 2009
“Eclampse” (Tribo de Teatro) 2010
“Quando as Máquinas Param” (Teatro Extremo- Portugal/Harém de Teatro – Brasil) 2010
“A Batalha do Jenipapo” (FUNDEC) 1998 a 2011
A pequena vendedora de Fósforo (Teatro da Tribo) 2011
“A manhã é ser” (Tribo de Teatro) 2012
“Paixão de Cristo em Oeiras” (Associação Mãos de Oeiras) 2013
“Itararé – A República dos Desvalidos” (Grutepe) 2015/16
“A Casa de Bernarda Alba” (Grupo Harém de Teatro 2009/2016

Produção Executiva, ambientação cenográfica dos eventos

Festival de Rabecas de Bom Jesus (2017);
A Batalha do Jenipapo (2017);
Cenografia e Figurinos de “A Paixão de Cristo de Bom Jesus” (2017);
Figurinos de A Batalha do Jenipapo (2017);
Figurinos no espetáculo de natal Siga a Estrela (2017);
Cenografia e ambientação Carnavalesca, em parceria com Wilson Costa, da cidade de Bom Jesus do Gurguéia (2017);
Baile dos Artistas ‘Maria da Inglaterra’ (2017);
Baile dos Artistas ‘Maria da Inglaterra’ (2018).

Filmes

Corpúsculo” (Tribo de Teatro) 2009
“Eclampse” (Tribo de Teatro) 2010

Premiações

Melhor Atriz, pelo espetáculo A Casa de Bernarda Alba, no Festival Nacional do Teatro em Floriano Piauí (2016);
Melhor Figurino de espetáculo, pela peça A Casa de Bernarda Alba, no Festival Nacional do Teatro em Floriano Piauí (2016);
Melhor Figurino de espetáculo, no Festival Nacional do Teatro em Floriano Piauí, pela peça Um bico para Velhos Palhaços (2017);
Melhor Figurino de espetáculo, no Festival Nacional do Teatro em Floriano Piauí, pelo espetáculo “As Malditas” (2017);
Melhor Figurino de espetáculo, no Troféu Os Melhores do Ano do Teatro Piauiense, pelo espetáculo “As Malditas” (2017);
Melhor Figurino de espetáculo “As Malditas”, no Troféu em Cena, na Semana Nacional do Teatro em Teresina –SenThe (2018).

Outras fontes

http://manekonascimento.blogspot.com.br/2014/12/hoje-e-dia-dharem.html

http://manekonascimento.blogspot.com.br/2014/12/itarare-eternamente-por-maneco.html

https://mostradeteatrodealmada.blogspot.com.br/2011/02/teatro-extremo.html

http://manekonascimento.blogspot.com.br/2015/12/e-30-anos_5.html

https://cidadeverde.com/noticias/70806/bid-lima-e-indicada-para-presidencia-da-fundac-com-aval-de-fabio-novo

http://entrecultura.com.br/ec-tv/joao-vasconcelos-bateu-papo-descontraido-com-bid-lima/

http://www.jfnews.com.br/teatroespetaculo-as-malditasse-apresentara-em-jose-de-freitas.html

http://www.fundac.pi.gov.br/materia.php?id=1008

https://www.portalodia.com/noticias/art-gente/filme-piauiense-eclampse-estreia-no-clube-dos-diarios-128779.html

 

Última atualização: 01/04/2018

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s