Fátima Castelo Branco

A cantora, compositora e poetisa Fátima Castelo Branco é natural de Teresina e radicada em Parnaíba. Já apresentou duas vezes no festival “Canta Nordeste”, realizado pela TV Globo, foi vencedora do I Festival da Canção Popular Timonense, participou da coletânea Prêmio SESC de Música-Tom Jobim, dentre outros. Além disso, Fátima e a cantora Cláudia Simone, participaram do Projeto Canta Piauí produzido pela TV Assembleia no qual culminou na gravação do DVD “Por aí Brasis”. A cantora também lançou o Cd e songbook , o primeiro sonbook lançado por uma compositora no Piauí, “Pedindo um tom” (2001) e “Bem Brasis (2008), produzidos por Marleide Lins. Sua voz já encantou o palco do Projeto Seis e Meia. Já foi homenageada por diversos intérpretes como Soraya Castello Branco, Vavá Ribeiro, Bete Moreno, Cláudia Simone, Conceição Farias, Tony França, Irecê Santana, Jô Ribeiro e Bebel Martins, esta última com a gravação do Cd “Deusa Mãe” com as composições de Fátima Castelo Branco. A cantora segue criando suas composições com o carinho e cuidado materno, de quem dá a vida pela sua obra, pela sua cria.

“A música pra mim, ela é sinônimo de vida, eu não existiria. Se eu existisse eu tinha que ser música de novo, a música significa tudo.” Fátima Castelo Branco

Nome Completo: Fátima Castelo Branco

Descrição: Cantora e compositora

Data de Nascimento: 21/09/1958

Local de Nascimento: Teresina-PI

A brincadeira que se tornou profissão

Foi entre as brincadeiras de teatro e de imitação dos cantores que Fátima Castelo Branco começou a explorar o canto e, à medida que foi crescendo, a cantora canta que nutriu uma paixão por Dito, um vizinho que cantava e tocava violão, então a admiração pelo rapaz fez a cantora frequentar o clube no qual ele tocava as músicas da Jovem Guarda. Das cantoras que Fátima costumava imitar, a Vanusa e Wanderléia eram as suas favoritas. A menina, que fazia aulas de bordado no centro social do bairro, foi transitando gradativamente para o violão, passou a fazer aulas com o Dito e a paixão da infância foi se tornando algo profissional. A cantora rememora que inicialmente não possuía violão nem tinha rádio em casa, cresceu escutando a sua mãe cantando e as músicas que escutava ficavam gravadas na cabeça, quando começou a tocar pôde materializá-las, reproduzir tudo no violão.

A poesia cantada

“A gente começa escrevendo naquele caderninho de questionário, dali a gente ia respondendo aquelas perguntas e daqui a pouco a gente ia escrevendo poemas, aquelas frases de amor, de adolescente”, diz Fátima Castelo Branco. Depois das primeiras aulas de violão, Fátima conta que os desdobramentos da vida foram levando-a para outros caminhos, o seu primeiro namorado ganhou um rádio a pilhas e foi por meio dele que ela começou a se alimentar artisticamente com as músicas de Caetano Veloso, Vinícius de Morais, entre outros. Aos poucos a cantora começou a se interessar pela Bossa Nova e ampliar o seu repertório musical, principalmente quando conheceu o seu marido, que tinha um gosto mais refinado para a música. Depois do nascimento do primeiro filho e para acompanhar o marido, que assumiria o novo emprego, a família foi morar em Santa Filomena-PI e depois em Simplício Mendes-PI e foi lá que a cantora voltou a se conectar outra vez com a música e compôs a sua primeira canção. Depois disso, Fátima Castelo Branco não parou mais, se jogou de cabeça no mundo da música e gostou do mergulho.

Conquistando os festivais

Fátima Castelo Branco é um dos destaques da música piauiense, a beleza das suas canções foi conquistando os críticos e os festivais de música. Dessas músicas premiadas Fátima Castelo Branco relembra a “Teu Traquejo”, que ganhou o Festival Canta Nordeste na voz e interpretação de Miriam Eduardo, que conheceu a música por intermédio de Stênio Nóbrega e Anderson Nóbrega. Então, a partir de então suas músicas ficaram mais conhecidas. Fátima conta que acha fascinante quando escuta outra pessoa cantando as suas canções, sua relação não é de ciúmes, mas de compartilhamento da obra. Para ela a música é a fotografia da alma e quando ela vê a sua alma fotografada no palco. Consequentemente, com a visibilidade que ganhou pelo sucesso das canções, Fátima diz que passou a se aperfeiçoar mais e participar de mais festivais, dessas andanças acabou indo morar em Brasília, onde estudou na Escola de Música de Brasília. Foi com esse salto que Fátima Castelo Branco começou a construir a sua carreira como cantora e compositora, sendo acolhida por belas vozes desde as primeiras canções.

“A música é meu remédio, minha ponte de passagem pro outro lado. É meu estar, minha sala de jantar. É minha alegria e minha tristeza, pois é legal também você ficar triste. A música ela é minha felicidade.” Fátima Castelo Branco

Desnudar-se no palco

Para Fátima Castelo Branco compor e cantar é se desnudar no palco. E sobre as suas experiências nos palcos ela relembra o primeiro show autoral, que aconteceu em 2000, no qual a cantora dividiu o palco com outros cantores. Foi nessa época que ela conheceu Marleide Lins, Claudia Simone e João Vasconcelos, que ajudaram na produção desse show, depois disso a cantora mostrou as suas composições à Marleide Lins, que produziu dois de seus discos, entre eles o CD e songbook “Pedindo Tom”. E a cantora afirma que esse CD foi um divisor de águas na sua carreira. As músicas de Fátima já foram interpretadas por outras grandes vozes do cenário musical como Cláudia Simone, Jô Ribeiro, Soraya Castelo Branco, Conceição Farias, Irecê Santana, Dandinha, Zé Marques, Tony França, Bete Moreno, Vavá Ribeiro, Moises Chaves e Bebel Martins. Fátima conta que cantar com tantas vozes ajudou na sua formação e foi um motivador para correr atrás e superar suas próprias limitações. “A música me salvou… durante a vida você tem várias perdas, você se afoga várias vezes na vida, você morre, quantas vezes eu morri né, morri muitas e muitas vezes e ressuscitei”, diz Fátima Castelo Branco.

O amor nos versos

“Eu canto o amor, eu canto, eu adoro cantar o amor, o amor por tudo, pela natureza, pelo outro, o amor sentimental, o amor pelos meus filhos, pelos meus netos, faço músicas para meus netos, pros meus amigos”, diz Fátima Castelo Branco. A música de Fátima começou na intuição e foi amadurecendo com o passar dos anos e ela comenta que foi aperfeiçoando a matemática dos seus versos. A compositora conta que prefere dar a forma à composição sozinha, mas que não é uma regra e destaca a música “Casa planetária”, inspirada na construção da casa de amigos e que fez tanto sucesso que o público sentiu-se contemplado pela história cantada. A música fala da construção do amor, da relação, de casamento, do amor que pode até sobreviver às adversidades. A música que encantou até a compositora fará parte do CD “Ela canta a música”. Fátima Castelo Branco fotografa os momentos por meio da música, dando uma forma musical aos acontecimentos que marcam a sua história ou ao que desperta a sua atenção.

A música é vida

Fátima Castelo Branco é uma das mais belas vozes da música brasileira e conquista o público onde chega. Ela já recebeu diversas homenagens, afinal a beleza da poesia e composições da cantora já foi interpretada por muitas vozes. E se a música é, para a cantora, sinônimo de vida, ela canta para despertar os corações. Fátima Castelo Branco fala da sua obra como quem fala de um filho, pois as suas composições são parte da cantora, são o momento de tranquilidade, de paz, o seu cartão de visita, uma forma de sentir tristezas e alegrias, de se fortalecer. A música é a felicidade que Fátima Castelo Branco aproveita e explora com muito amor. E esse dom é considerado por ela como um remédio para as suas dores. Então, fica difícil não se apaixonar pelas canções tão sensíveis dessa artista que sempre surpreende. Fátima Castelo Branco é a voz do Piauí.

Contatos

http://instagram.com/fatimacbranco/?hl=pt-br

http://facebook.com/fatimacastelobranco

https://www.youtube.com/channel/UCMc8398IccxE0FAjpOqgP_w

Fotos

Vídeos

Discografia

“Pedindo um tom” (2001);

“Bem Brasis” (2008);

“Bossas de Verão” (2012).

Outras fontes

https://cidadeverde.com/noticias/229580/cidade-viva-fatima-castelo-branco-sera-homenageada-no-teatro

http://www.icsrita.org.br/msica-para-todos-recebe-ftima-castelo-branco-em-recital-pelo-dia-da-poesia/

 

Última atualização: 11/02/2018

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.