Érica Anunciação

Ser artista é resistir, superar todos os obstáculos e agir, pois não é só de sonhos e paixões que se constrói uma obra de arte, é, antes de tudo, de muito labor. Assim aconteceu com a atriz Érica Anunciação que batalhou desde o início para concretizar seu desejo de subir nos palcos. Ela nasceu em Teresina e é formada em Artes Dramáticas pela Escola Técnica de Teatro Gomes Campos. Já participou de inúmeras peças como “A Vingança de Hambol” (2011), “As Romeiras” (2011), “A Bruxa Chatonilda” (2012), “Rádio Gut” (2012), “O Louco e a Morte” (2012), “Batalha do Jenipapo” (2012, 2013, 2014 e 2017) e “Fogo” (2013). Sua participação nos festivais lhe rendeu diversas premiações como o 1º lugar como melhor atriz no 1º e 2º Festival de Improvisação Teatral em 2011 e em 2013. Sempre em busca de se aperfeiçoar, a atriz também explorou o mundo musical com o projeto “De última Pocket Show” produzidos pelo Piauhy Estúdio de Artes, grupo do qual participa.

 “A arte tem que ser sempre uma busca. E o teatro representa essa busca, tentando sempre se aperfeiçoar.” Érica Anunciação

Nome Completo: Érica Anunciação Ferreira Pereira

Descrição: Atriz

Data de Nascimento: 01/12/1987

Local de Nascimento: Teresina-PI

Érica Anunciação: Os primeiros passos para ser uma atriz

Como seres criativos, devemos desenvolver as nossas potencialidades, cultivar nossas ideias e pô-las em prática. Não adianta só sonhar, é preciso conhecer e experimentar um pouco de tudo, por isso existem escritores, pintores, dançarinos, cineastas e atores que nunca serão descobertos, por desconhecerem a arte. E por desconhecerem acabam criando resistência e julgando mal aquilo que não conhecem. Érica Anunciação teve que se desviar desse tipo de pensamento, ela começou a conhecer as artes na escola, nas gincanas e atividades extracurriculares. A atriz teve que enfrentar o pai para fazer teatro e foi com o apoio da mãe que ela conseguiu se manter firme e participar das oficinas de teatro, buscando conhecer o universo das artes cênicas. Com essa teimosia e enfrentando todas as dificuldades, foi que ela acabou entrando para o curso técnico de teatro na Escola Técnica de Teatro Gomes Campos. “Muitos acham que teatro é glamour, é riqueza e não é isso, você tem que batalhar mesmo.”

Érica Anunciação: Mais que amor, vontade

Nem sempre os caminhos para se tornar um artista são fáceis, principalmente para quem pretende viver para e da arte. Por isso, Érica Anunciação acredita que o amor pelo teatro é tão essencial como a persistência, não basta gostar, é preciso enfrentar as dificuldades da área e superá-las. A atriz começou a estudar na Escola Técnica de Teatro Gomes Campos em 2011, a sua turma inicialmente comportava 33 alunos e apenas 8 se formaram. Érica relembra como transformaram uma escola abandonada em uma escola de teatro e que, apesar das dificuldades a escola vem formando artistas com o mínimo de recursos possíveis. Érica comenta que é preciso parar e reclamar e agir, pois o amor não é suficiente para tratar o teatro, tanto que muitos desistem por não encontrarem as condições ideais. “Como eu não tinha dinheiro, na época, pra fazer oficinas, cursos e essas coisas, minha mãe me dava o dinheiro da passagem de ida e volta do ônibus, mas eu só pagava a ida e voltava a pé para casa, porque eu tinha medo de não ter dinheiro no outro dia para ir ao teatro”, diz Érica.

Érica Anunciação: Disciplina é a chave para um bom trabalho

Atuar é variar constantemente, ser milhares em um só corpo e nunca se contentar com as facilidades, por isso é necessário sair do perfil cristalizado e experimentar o desconhecido. Érica Anunciação chamou a atenção do público desde as primeiras representações e pela facilidade que tinha com a comédia e as improvisações, fez sucesso explorando a comicidade. Chegou quase ser confundida com uma atriz de um único perfil, mas na sua busca por novas propostas e diferentes conhecimentos, a atriz enveredou para o drama, quis explorar o oposto de tudo que tinha experimentado anteriormente e gostou de não se fixar em um único perfil. A atriz fez parte de três grupos simultaneamente: a Cia pé de Moleque, a Cia Utopia de Teatro e o Vetor Grupo Cênico, dirigidas pelos diretores Salmito, Chico Borges e Vitor Sampaio respectivamente, por quem ela comenta ter grande respeito. Nesse período, mesmo com pouco tempo de experiência nas artes cênicas, Érica tratava seus compromissos com o grupo com muita responsabilidade, sempre chegando aos ensaios com pontualidade e com muita disciplina. Ela comenta como é importante trabalhar em diálogo com a direção. “Eu era um papel branco”, diz a atriz. Depois da experiência com esses grupos Érica foi convidada pelo Vitor Sampaio para conhecer o Coletivo Piauhy Estúdio das Artes e por lá ficou. Érica Anunciação fala sobre o seu trabalho de pesquisa no coletivo, que é preciso se permitir e que durante busca se aprimorar cada vez mais. Para ela, o maior sabotador do artista é ele mesmo, logo é importante vencer os pensamentos que bloqueiam as nossas ações.

“No teatro você tem que entrar com objetivo e acreditar no que está fazendo.” Érica Anunciação

Érica Anunciação: Teatro na educação

Já deu para perceber o quanto a arte pode transformar a vida de uma pessoa, o teatro foi modelando mais do que o corpo e os trejeitos da Érica Anunciação, foi construindo um novo ser, mais sensível à vida e ao mundo. E ela complementa dizendo que teatro foi ensinando o prazer da leitura e ajudando a superar as próprias dificuldades. Érica cita como exemplo a sua participação no Ciclo de Leituras Dramáticas, que além de exercitar a leitura, ajudou a conhecer muitas obras, autores, inclusive grupos e artistas que dialogam com o coletivo, sem necessariamente pertencer ao grupo. A atriz conta que, diferente do que costuma-se pensar, é possível sim viver do teatro sem se submeter a tudo. Ela conta que começou a trabalhar dando aulas nas escolas no projeto Mais Educação, foi aprendendo a se superar nas dificuldades, mas que não desistiu. Depois foi contratada pela Educari para a mesma função do trabalho anterior e atualmente ela foi contratada pela prefeitura de Teresina para ser facilitadora dando oficinas de teatro. Essas experiências foram transformando o olhar da atriz que foi aprendendo a perceber melhor as pessoas e entendendo que por trás de uma ação existe uma história.

Érica Anunciação: O conhecimento se faz em conjunto

A atuação é repleta de detalhes tão sutis que fazem das etapas que precedem a entrada no palco um verdadeiro ritual para o artista.  Desde o estudo minucioso do texto até a construção da personagem, existe um método nesse ritual que guia a ação da atriz. Todos os conhecimentos adquiridos desse ritual foram sendo construído por Érica Anunciação ao longo da sua formação, não isoladamente no processo de introspecção, mas pelo diálogo com os profissionais das mais diversas áreas. E se tudo esse arcabouço teórico é fruto da colaboração com outros artistas, nada melhor do que citá-los. Portanto, ela destaca a importância de algumas pessoas para a sua carreira como atriz, como: Edinho do Monte, o seu primeiro professor que foi um dos grandes incentivadores para que ela continuasse na carreira de atriz. Os diretores Salmito Walfrido, Chico Borges e Vitor Sampaio quem deram as primeiras oportunidades para atuar. Érica complementa dizendo que os seus mestres são as pessoas com quem ela trabalha. Ela destaca o quanto aprende com Adriano Abreu, Silmara Silva, Carlos Aguiar e com o coletivo que tanto ensina e que, ao mesmo tempo, aprende com ela, pois é tudo uma troca, estamos aprendendo e ensinando a todo momento. As suas referências no teatro ensinaram a pesquisar, estimulando a procura e constante aperfeiçoamento, nada está pronto no teatro, existe um processo de lapidação que nunca deve parar.

Érica Anunciação: O teatro deve buscar a verdade

Os quase dez anos de experiência no teatro, embora considerados por Érica Anunciação pouco tempo, permitiu que ela experimentasse muita coisa nos palcos. Érica acredita na arte e não se desanima com as dificuldades que costumam desmotivar os aventureiros desprevenidos. Para ser artista é preciso ter garra, concretizar aquilo que fica no plano dos discursos e dos sonhos. Ela, assim como outros nomes da cena teatral, mostra que o teatro é uma profissão séria, como todas as outras e que deve ser valorizada. A atriz apaixonou-se pelas artes, mas permaneceu realista, sua pesquisa para sanar todas as suas falhas não para, é um exercício interminável de auto avaliação. Érica acredita no teatro que transforma, que sensibiliza não só o artista, mas o público. Para a atriz, o teatro é mudança e tanto encanta como choca, permitindo tocar em temas delicados de forma inteligente. Por isso, a responsabilidade do ator é enorme, pois ele levará para o palco uma obra que poderá impactar para sempre a vida de uma pessoa. Érica diz nutrir o sonho de crescer na sua profissão e viver pelo menos trinta anos só de teatro.

Contatos

http://facebook.com/erica.smith.12139

http://instagram.com/erica_amadamante

+55 86 99491-1689

Fotos

Vídeos

 

Espetáculos

“A Vingança de Hambol” (2011)

“As Romeiras” (2011)

“A Bruxa Chatonilda” (2012)

“Rádio Gut” (2012)

“O Louco e a Morte” (2012)

“Batalha do Jenipapo” (2012, 2013, 2014 e 2017)

“Fogo” (2013)

Outras fontes

http://piauiestudio.blogspot.com.br/p/pablo-gomes.html

http://vetorgrupocenico.blogspot.com.br/p/erica-smith.html

https://www.meionorte.com/blogs/culturaeturismo/coletivo-busca-desenvolvimento-do-teatro-270332

 

Última atualização: 10/12/2017

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s