Poesia de Ana Cândida Carvalho

Descalço, desfaço os nós mal traçados Equilibrando dados falsos Lançados em vão, ou não Crente, ainda sustento vícios proibidos Inclinados para o lado oposto do infinito Atraído, inconsciente, para o interdito Sem nexo! Sou pó, inconfesso! Certo do desbocado mistério Colecionando silenciosos protestos Sou rastro! Entre gritos abafados Calado, desfazendo … Continue lendo Poesia de Ana Cândida Carvalho