Rascunho 4

Você gozava com as letras, Com o meu pavor de borboletas, E eu queria usar a sincronia do vento Para tragar o seu cheiro Ou me deleitar com o seu talento. Você se desfazia dos meus versos Se rebolando e desviando das minhas marras Nem mil redes segura toda a … Continue lendo Rascunho 4

Rascunho 3

Olho nos teus olhos… Todas as partes dos corpos se destravam. De todos os escudos e camadas, só o olhar desfaz as máscaras. És o meu reflexo tão distante, o olhar furtivo focado no meu quadrante. Um ser perdido que se reconhece no exótico e introspectivo mundo diminuto, porém infinito. … Continue lendo Rascunho 3

Rascunho 2

Meus silêncios são tempestades nas águas calmas do teu peito confortador. Queria eu, ser o motivo das borboletas que voam, serenas, no teu estômago gélido, inóspito, no teu abraço, mórbido e frio, que me desesperou. Conformado dos limites de não ser também alado, tento te apreciar tácito e sempre rindo … Continue lendo Rascunho 2