Sem medida, de Demetrios Galvão

as casas fogem de repente

e em seu lugar há uma carta.

enrique molina

 

longe dos olhos o alimento é saudade

o que se carrega na mochila é rarefeito

a voz que vem de dentro é mitológica

reza uma fronteira e lembra uma origem.

 

longe do lar o encantamento é armadilha

os cartões-postais realizam um cortejo tímido

as paredes vestem um luto cordial que se renova

as águas dão forma a céus de misericórdia.

 

longe do corpo o relevo de um sorriso adormece elefantes

o nome próprio é um signo abstrato e sangra a falta de carne

os músculos são cordões inanimados em jogo voraz

os pássaros tomam posse da cabeleira abandonada.

 

Poesia de Demetrios Galvão

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s